Texto postado em Imbecil e Inexperiente no dia 16 de novembro de 2011.

Não, não estou falando do Domingão do Faustão. Estou falando das novelas mesmo.

Tudo bem que em mil-novecentos-e-chubéris as novelas eram a grande válvula de escape dos brasileiros. Mas hoje nós temos algo chamado Internet: só na Internet você pode fazer seus trabalhos, ouvir música, falar merda e ver um pornô maroto ao mesmo tempo.

Nem vou fazer todo aquele discurso de tio velho professor de Sociologia (aquele de "ah, a novela tem grande influência na população, yadda yadda yadda"). Todo mundo já sabe disso, pra que mais do mesmo? Aliás, a MÍDIA em si já tem forte influência. A novela é só uma pequena parcela disso. E não, não é conversa de pseudo-punk revoltado que culpa o sistema. Sério, deveriam sancionar uma lei que proibisse jovens criados a leite com pera de dizer a palavra "sistema".

A questão é: a "equação geral" da novela brasileira já deu o que tinha que dar, e por sinal já deu mais do que biscate em swing. Saturou. E até os mais bocós -- que assistem novelas -- já perceberam isso.

Saturou tanto que eu apresento agora, com muito orgulho, a Equação Geral da Novela Brasileira:

Elevado a clichê.
Sim, você acertou: eu não tenho o que fazer.