Texto postado em Imbecil e Inexperiente no dia 26 de outubro de 2011.

Já faz alguns dias que tenho notado o comportamento de certas pessoas. E claro, tenho me irritado com isso também. Este texto é uma carinhosa dedicatória minha a uma pessoa muito querida, a qual tenho esperanças que note a indireta. Caso esta pessoa não notar, ela estará apenas comprovando a minha teoria de que ela tem tantos neurônios quanto a Mulher Maçã. Enfim, que o escárnio se inicie.

Percebi, há algumas semanas atrás, um comportamento um tanto quanto estranho por parte de uma pessoa do sexo feminino. Não perderei meu tempo explicando os motivos para que eu não vá muito com a cara dela. Tudo o que é necessário saber é que esta pessoa não tem mais nenhum vínculo de amizade comigo. Depois que a pessoa que nos mantinha unidas foi excluída do meu seleto grupo de amigos, não havia mais nenhum motivo para continuar falando com ela. Ela também percebeu isso e, portanto, nos ignoramos mutuamente.

Meses depois, a criatura me adiciona no famigerado Facebook. Achei estranho, obviamente, mas não custava nada aceitá-la. Não é porque ela está na minha lista de amigos do Caralivro que ela é necessariamente minha amiga. Juro que evito ler quaisquer atualizações dela, afinal, ela em si já é um ser ridiculamente irritante -- e eu não sou a única a pensar isso.

Quem mantém contato comigo sabe que realmente amo meus ídolos (que são, em sua maioria, comediantes). Estou sempre comentando sobre eles, e às vezes comento no tumblr quando dá tempo ou quando me dá na telha mesmo. Não é preciso ter um QI elevado para perceber isso.

Dias depois de ter adicionado a dita cuja, ela começou a postar suas atualizações do tumblr no Facebook -- eu não vou seguir aquela biscate, só o fato de ter aceitado ela nessa rede social já foi um grande esforço. Coincidentemente ela começou a postar coisas sobre o humorista que a Wanessa Camargo odeia, reblogou gifs do Barnabé de Santo André, curtiu atualizações de outros humoristas...

Tudo isso depois de eu tê-la aceitado no Facebook.

Qualquer pessoa que a conhece sabe: ela nunca teve interesse em comediante algum. Aliás, ela é a grande pica poser das galáxias. Diga um artista qualquer: com certeza ela é poser dele.

Acha meu ódio por ela infundado? Então, permita-me usar a definição de "poser" do Dicionário da Ana:

Poser: adolescente acéfalo com ausência de personalidade própria, fortemente influenciado pela fama de artistas, que pode idolatrar e amar qualquer pessoa, desde que esta tenha uma fama relativamente grande; apesar de declarar seu amor falso ao pseudo-ídolo, o poser nunca saberá nenhuma informação acerca do mesmo. 

Um dia ela veio aqui, junto com a pessoa que nos mantinha "unidas" (favor notar as aspas). Estávamos falando do Rei do Pop. Ela disse ser uma grande fã do mesmo, e logo suspeitei. Quando mencionei o clássico moonwalk, ela me olhou com cara de quem nunca tinha ouvido falar disso e perguntou: "O que é isso?"

Até a minha vó sabe o que é o moonwalk. Tá, ela não sabe. Mas qualquer ser humano que se diz fã do Michael Jackson sabe o que é. Eu mesma gosto do trabalho do MJ, mas certamente não chego a ser fã.

Agora vem a parte desnecessária (não que este texto, este blog ou ela sejam importantes para alguém): ela é uma garota de quinze anos mimada, dessas que, se pedirem papel higiênico de ouro para o papai babaca, o mesmo comprará para ela. Tem tudo na mão, não faz absolutamente nada da vida e se faz de rebelde sem causa. Se acha a xoxota das galáxias (feminino para a expressão "pica das galáxias"), mas no final das contas não sabe nem escrever direito. Julga-se original, mas não passa de uma cópia barata xing-ling de outras cópias existentes, formando assim o maior clichê adolescente.

Antes que alguém me xingue alegando que também sou poser, trago agora um pequeno histórico:

Gosto de humor desde que me conheço por gente. Praticamente nasci ouvindo Mamonas Assassinas. O primeiro livro que li (aos 7 anos) se chama Seu Creysson - Vídia i Óbria. Acompanho o trabalho do Rafinha Bastos desde os 8 ou 9 anos, quando ele era famoso pelo site Página do Rafinha, e fui assisti-lo numa palestra nos confins da puta que pariu, só porque ele estaria ali. Enquanto muitos amam os Beatles, prefiro os humoristas ingleses do Monty Python. Admiro o trabalho do Rowan Atkinson, o Mr. Bean, desde sempre. Fiquei meio triste quando soube que o José Vasconcelos tinha morrido. Acompanho quase tudo o que o Danilo Gentili escreve, inclusive os antigos textos do blog dele. Fico realmente puta da cara quando vejo que piadas são levadas a sério e planejo ganhar a vida fazendo stand-up comedy (até pretendo fazer curso de stand-up e de improvisação). Só neste "pequeno" histórico já dá pra perceber que posso passar um dia falando sobre humor, por mais que citar nomes não valha muita coisa.

Agora vem essa cagalhona aí se dizer fã deles, que nunca deu uma foda para os mesmos.

Queridinha, por favor, receba o meu sincero recado:

Vá tomar no meio do seu cuzinho pálido. Meus ídolos não precisam do seu falso afeto, que dura o mesmo tempo que você demora para reblogar um post no tumblr. É muito fácil amar alguém quando este é famoso, sem saber de suas origens e de sua luta para ser o que eles são hoje. Continue sendo esta grande garota de merda que você é, pois assim, quem sabe, posso fazer várias piadas usando o seu tipinho -- que como já disse acima, é irritante e ridículo. Fique feliz, vadia, sendo essa grande pessoa de caráter, personalidade e inteligência nulos.

A carapuça serviu, se identificou? Que bom, era pra você, de verdade. Não entendeu ainda? Pois é, era de se esperar de alguém como você.

Agora encerro este post com uma frase muito útil do meu querido Danilo Gentili:

Muito obrigado, boa noite e desejo a todos vocês e sua família que vão todos tomar no meio de seus cus.